cdnUrlPath=/homem-casado=cdnUrlPath
Experimente um

homem casado

sensual!
Junte-se a milhões de membros e explore as possibilidades hoje mesmo.

Tenha um caso com um homem casado

Não, nem todos são porcos nojentos; na verdade, muitos são homens distintos, charmosos, doces e orgulhosos que se sentem sozinhos, incompreendidos e necessitados de companhia. Não ajuda muito o fato de a maioria das culturas e estruturas sociais considerar esses homens o mal encarnado enquanto, na verdade, deveriam estar se perguntando se um status quo cultural serve para todos. Para um número cada vez maior de pessoas casadas a resposta é NãO!

Trair ou não trair? O dilema dos homens casados

Em média, os homens casados têm mais acesso à infidelidade do que imaginam. Com a possibilidade de encontrar um caso nos aplicativos de namoro, nas redes sociais e com donas de casa a fim de um caso mais disponíveis e dispostas e que simpatizam com suas necessidades físicas e emocionais – a conversa sobre traição está evoluindo.

Tradicionalmente, a simples ideia de infidelidade em um contexto social seria recebida com um coro de desgosto e desdém. A enxurrada de escândalos veio em argumentos antigos, como "os homens têm uma biologia diferente" e há uma força imbatível que atrai espermatozoides intrinsecamente na direção de novas fazendas de DNA, ou seja, corpos humanos quentes. A pseudo-ciência não é mágica?

Sim, os homens realmente sentem uma necessidade de espalhar a semente, e a tentação é um enorme fator biológico. Mas, é realmente alguma força misteriosa que toma conta dos homens e faz com que percam o controle das faculdades de decisão? Por um lado, a psicologia moderna está dizendo que, quando os homens traem, fazem isso por ser uma parte natural do ser humano. De acordo com a professora de psicologia Lucia O'Sullivan, a pesquisa sobre infidelidade na Universidade de New Brunswick está desafiando o núcleo da monogamia como um sequestro do instinto humano básico.

"A monogamia é contra nossos instintos naturais. Somos atraídos por pessoas que têm algum tipo de beleza, que são atraentes. Nosso cérebro se ilumina, nossas pupilas dilatam – tudo." (1)

Por outro lado, também há raízes emocionais profundas para o homem a fim de um caso e faz parte da conversa em que os homens comuns podem se sentir tentados a dizer "Sentimentos? Enterre fundo, cara!". Laurel Steinberg, PhD, terapeuta de relacionamento e professora de Psicologia da Universidade de Columbia, aponta algumas questões emocionais no atual relacionamento de um homem que poderiam agir como disparadores óbvios da infidelidade.

"Se ele estiver se sentindo sozinho no relacionamento, castrado de alguma maneira ou zangado com a parceira." (2)

Sem mais delongas, vamos explorar diversos possíveis motivos pelos quais os homens buscam uma experiência não monogâmica, tanto física quanto emocional, que por acaso não se enquadra apenas na categoria geral e genérica de "todos os homens são porcos". Mas, lembre-se, apesar de todos os argumentos sutis, há muitos homens que também são porcos.

6 motivos pelos quais um homem casado trairia, além de tesão


1. Machos alfa têm que caçar

Vamos começar diretamente com os aspectos fisicamente atraentes dos casos extraconjugais e isso inclui a perseguição inegável que o homem associa à ideia de ser caçador. Esse atributo arraigado aumenta dez vezes quando o homem tem uma predisposição para conseguir o status de macho alfa. No documentário "Por que os homens traem", o diretor Marc de Guerre analisa profundamente a predisposição do comportamento do macho alfa de alta potência no que diz respeito à promiscuidade sexual. A argumentação é que a mesma atitude de apostas altas, risco alto, recompensa alta que leva esse tipo de personalidade a ter sucesso nos negócios e em outras áreas da vida é a que leva as mulheres casadas a buscar uma aventura extraconjugal.

Segundo o Dr. John Gray, autor de best-seller e psicólogo, os machos alfa são ameaçados pelos efeitos químicos da monogamia, tanto quanto os físicos e psicológicos. "Com oxitocina e homem alfa, conforme o nível de estresse das mulheres diminui quando recebem oxitocina de um relacionamento amoroso monogâmico, o nível de testosterona do homem diminui; então, ele fica mais estressado e mais inclinado a procurar um encontro discreto para aumentar o nível novamente. O conceito é que a intimidade pode reduzir o desejo sexual de um homem". (3)

2. A luxúria está morta no casamento

Já ouvimos as palestras da psicóloga superstar Esther Perel, basta fazer uma busca rápida no Youtube, caso ainda não tenha ouvido. Ela é famosa por dizer que mesmo os casais que têm casamentos felizes estão tão propensos a trair quanto qualquer outro. Perel escreveu no Atlantic: "a infidelidade hoje não é apenas uma violação da confiança; é uma quebra da grande ambição do amor romântico". (4)

Isso traz à tona o argumento de que o amor e a luxúria jogam em times diferentes na mente de um homem casado e traidor. Este é um argumento que o rabino Shmuley Boteach reafirma em seu livro de 2008, "The Broken American Male: And How to Fix Him" (O macho americano quebrado e como consertá-lo). Em uma entrevista com "Big Think", Boteach sugere lidar com o problema da luxúria enfraquecida de forma proativa ou estar preparado para trair.

"A luxúria é quando você deseja aquela pessoa e é o motivo pelo qual está lá. E deve ser o principal motivo para nos casarmos e continuarmos casados. Eu mantenho apaixonadamente que a paixão não precisa ser pedida; a ideia de que no casamento há uma transição de luxúria para amor, aquela sensação de quanto estão solteiros e não conseguem manter as mão longe um do outro. Mas, lentamente, migra para essa parceria, um tipo de expressão comercial fria. Migra lentamente para essa parceria. é uma grande besteira. é uma abordagem derrotista do casamento." (5)

3. Libere o potencial do "sedutor"

Todos queremos saber se alcançamos nosso potencial e, às vezes, a melhor maneira de descobrirmos com a idade é obter afirmação com a boa aparência e a atração irresistível através da satisfação de um caso extraconjugal. Ou seja, todos querem se sentir desejáveis no auge de sua capacidade e, talvez, um homem que se case muito jovem e não esteja completamente satisfeito com seu potencial sexual precise ter certeza.

Rori Sassoon é a co-fundadora de um site de namoro de luxo e uma especialista em relacionamento com sede em Nova York. Em sua experiência de aconselhamento, ela diz que os homens traidores precisam sentir que conseguiram tudo o que precisavam sexualmente, antes que seja tarde demais. "Então, a meia-idade chega e eles só tiveram um parceiro, ou talvez dois. Mas, um homem quer se sentir como se tivesse conseguido. Ele ficou mais bonito e mais bem-sucedido; então, ele vai atrás de outras mulheres". (6)

4. A esposa não está demostrando amor

Todos nós somos culpados de considerar as coisas como garantidas, e o casamento não é exceção. Conforme os anos passam e a fase da lua de mel se torna uma lembrança distante, é preciso que haja uma faísca capaz de manter todos os homens casados satisfeitos com a vida doméstica. Quando o homem não recebe apoio da esposa, não se pode culpá-lo por procurar em outro lugar.

De acordo com a casamenteira, autora e palestrante Marla Martenson, os homens podem trair as esposas porque eles são humanos e os seres humanos gostam de receber atenção especial. "Os caras traem por causa da maneira como a outra mulher os faz se sentirem", diz ela. "Muitas mulheres chegam à conclusão de que um homem trai porque encontra uma mulher mais jovem e mais gostosa à qual ele não consegue resistir. Mas, a verdade é que, muitas vezes nos relacionamentos, os casais começam a se dar por certo, esquecendo-se de se complementarem ou de se sentirem especiais. Se você não está fazendo o seu homem se sentir especial, faça um esforço antes que alguém o faça". (7)

Esse é um argumento de desconexão emocional sobre o qual ninguém parece querer conversar. M. Gary Neuman, um conselheiro matrimonial, é uma das pessoas que gosta de tocar no assunto. Neuman realizou um estudo em 2009 em que 92% dos homens pesquisados alegou trair por causa da desconexão. "A maioria disse ser uma desconexão emocional, especificamente uma sensação de ser subestimado. Uma carência de gestos de consideração". (8)

5. Divórcio iminente

Às vezes, podemos enxergar os sinais a quilômetros de distância. Relacionamentos fracassam e oportunidades de encontros discretos costumam surgir; então, por que não simplesmente ter um caso? Em muitas situações, a esposa solitária já foi traída e, nesse ponto, o homem percebeu que o casamento é "f***".

Psicólogo em Detroit, o Dr. Antonio Borrello diz que o caso é apenas um sintoma dos problemas do relacionamento fracassado e que, no momento em que chega ao ponto da infidelidade, o casamento já tem uma infinidade de problemas profundamente enraizados.

"Quando um homem deixa o casamento por causa da infidelidade, é quase impossível saber quanto da decisão pode ser atribuído ao caso e quanto deve ser atribuído a outros fatores no relacionamento." (9)

Kristen Mark, PhD., diretora do Sexual Health Promotion Lab da Universidade de Kentucky, diz que trair é apenas uma maneira de gerar uma mudança de vida necessária. "Ter esse ímpeto é necessário para algumas pessoas saírem de relacionamentos dos quais sentem dificuldade de sair". (10)

6. Não há mais solução para os padrões sociais

Quando os homens se casam cedo por causa das expectativas em seus círculos sociais e familiares, as chances de se casarem para ter estabilidade são altas e, quando chegam os filhos e a rotina, há uma chance de que a depressão também entre em ação. Adicione a isso o fato de que, com o amadurecimento, os homens podem ter ideais e opiniões completamente diferentes sobre todas as esferas da vida; como, por exemplo, uma curiosidade ou crença em explorar os méritos do casamento aberto ou namoro poliamoroso. Esses homens podem sentir-se incrivelmente isolados de suas esposas e do círculo íntimo por medo do ridículo ou do conflito. Por exemplo, da política à religião, à monogamia e tudo o mais, os homens podem simplesmente estar buscando uma conexão com ideias afins.

Eric Anderson é sociólogo da Universidade de Winchester, na Inglaterra, e autor do novo livro provocador "The Monogamy Gap: Men, Love, and the Reality of Cheating" (A lacuna da monogamia: homens, amor e a realidade da traição). Um de seus muitos argumentos "antimonogâmicos" é que viver uma vida baseada em sistemas de crenças opostas cria um ambiente de amargura. "Além de enfraquecê-los, é um "encarceramento sexual socialmente compulsivo" que pode levar a uma vida de raiva e desprezo". (11)

Ao se inscrever em um aplicativo de namoro de pessoas casadas, o homem casado que se sente profundamente solitário tem uma nova perspectiva de empolgação que surge com a crença de ser uma parte natural da vida e, às vezes, os homens podem realmente se apaixonar, ouso dizer. Mas, em geral, a discrição de uma comunidade de casos-namoro pode ser essencial para realmente ir em busca de um caso em silêncio e manter o casamento intacto. Para simplificar, a discrição é a única escolha.

A plataforma de namoro de pessoas casadas da Ashley Madison foi criada com discrição absoluta no centro das experiências de seus usuários com namoro adulto, tanto on-line como em dispositivos móveis. é um dos motivos pelos quais essa conversa específica está começando a mudar. Junte-se a milhões de membros que fazem parte dela.

Referências:


  1. theglobeandmail.com – Lucia O’Sullivan
  2. msn.com – Laurel Steinberg
  3. theguardian.com – Dr. John Gray
  4. theatlantic.com – Esther Perel
  5. bigthink.com - Rabbi Shmuley Boteach
  6. bravotv.com - Rori Sassoon
  7. hercampus.com - Marla Martenson
  8. strongmarriagenow.com – M. Gary Neuman
  9. huffingtonpost.ca – Antonio Borrello
  10. bestlifeonline.com - Kristen Mark
  11. huffingtonpost.com - Eric Anderson

Junte-se a milhões de membros e explore as possibilidades hoje mesmo.

Ashley Madison uses cookies
We use cookies on this site to help provide you with the best online experience. To accept cookies, continue to use the site as normal. For more information about how we use cookies and guidance on how to manage your cookie settings, please see our Cookie Policy.