cdnUrlPath=/encontros-discretos =cdnUrlPath

Encontros discretos

 

Encontros discretos são uma escolha de estilo de vida preferido por muitos homens e mulheres casados que desejam explorar suas opções de namoro extraconjugal. Se você está pensando em trair seu parceiro, você provavelmente entende a importância da discrição. Para uma compreensão mais abrangente sobre o conceito de "encontros", é importante primeiro entender um pouco da história do adultério/infidelidade. Você também vai querer se atualizar em algumas expressões populares e discretas sobre namoro, e estamos aqui para ajudar com algumas sugestões que estão em alta e outras fora de uso.

************

Uma breve história do namoro discreto

Desde o surgimento da humanidade, as pessoas usam vários métodos na busca de uma conexão romântica. Ao longo da história, aqueles que procuravam contatos mais discretos usavam as ferramentas de comunicação disponíveis naquele momento.

O conceito de cortejo - principalmente para encontrar um cônjuge - remonta à idade média, apesar de instituições para casamentos arranjados já existirem há milhares de anos e em muitas culturas.

Encontros, como conhecemos hoje, só começaram a tomar forma no início do século 20. Aparentemente, o termo em inglês, "dating", foi cunhado pela primeira vez em 1896 pelo colunista do jornal de Chicago, George Ade, que o usou em um artigo para descrever um homem infeliz chamado Artie que reclamava que sua namorada estava usando outros “caras” para ocupar o seu tempo.(1)

Para um olhar interessante sobre a história do namoro tradicional na era moderna, você pode ler o livro de Moira Weigel, 'Labour of Love: The Invention of Dating', que foi citado em vários artigos online, notavelmente num artigo de David Brown em uma recente edição da Mental Floss.(2) No artigo, ele resume os vários tipos de namoro ao longo dos anos. Desde os primeiros anos dos “gentlemen callers” até a “shop girl” da década de 1920 e a explosão de mulheres solteiras chegando ao mercado de trabalho nos grandes centros urbanos, até a fase de “namoro firme” do pós-Segunda Guerra Mundial até a era do amor livre nos anos sessenta e da revolução sexual dos anos setenta, o namoro tomou muitas formas dependendo dos costumes dos tempos. E ao longo de cada uma dessas fases, os rituais de namoro ajudaram a moldar uma série de mudanças na sociedade. Por exemplo, a “menina da loja de departamentos ou a balconista” revolucionou a indústria de cosméticos e moda na América do Norte incentivando as mulheres a usar maquiagem facial que antes pertencia às atrizes de palco e às “damas da noite”.

Assim, nesse contexto, vamos analisar a evolução do encontro discreto e como as tendências de hoje se comparam às do século passado.

************

Uma cronologia dos casos românticos

A existência do namoro entre adultos remonta à Grécia e à Roma clássicas(3), mas provavelmente se estenda ainda mais a qualquer sociedade e/ou estrutura social que seja baseada em alguma forma de união conjugal.

Após a criação da imprensa no século 15 e o subsequente surgimento do jornal, os anúncios pessoais foram uma das primeiras ferramentas usadas para fazer conexões românticas.

De acordo com um interessante artigo do Huffington Post(4), os anúncios pessoais começaram na Inglaterra em 1695, principalmente para os britânicos em busca de candidatas a esposas.

Em 1700, homens homossexuais usavam anúncios pessoais enigmáticos para garantir parceiros românticos em uma época em que esse tipo de estilo de vida era desaprovado na sociedade em geral. De fato, a homossexualidade era proscrita e punida com a morte e permaneceria ilegal na Grã-Bretanha até 1967. Homens homossexuais também usavam locais conhecidos como “Casas Molly” para encontros discretos - mas sempre correndo o risco de serem presos, ou pior, mortos. Na década de 1880, o uso de anúncios pessoais para designações românticas floresceu. Logo, os membros da aristocracia europeia, e, finalmente o público em geral, começaram a usar anúncios pessoais em jornais para solicitar companhia, uma tendência que logo foi exportada para a América do Norte no final do século 19 e continuaria a ser um pilar dos encontros por muitas décadas.

O advento da tecnologia da computação na década de 1960 levou à opções mais discretas para aqueles que buscavam casos extraconjugais. De acordo com este artigo, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Harvard criou o primeiro serviço de namoro informatizado em 1965. Na década de 1990 e com a introdução da Internet, os quadros de avisos e as salas de bate-papo começaram a surgir e foram amplamente utilizados no mundo do namoro para quem estava em busca de encontros discretos.

************

Antes disso, homens e mulheres casados tinham opções limitadas para procurar um parceiro que não fosse seu cônjuge. Além de seus próprios círculos sociais, aqueles no início do século 20 que desejavam experimentar um namoro entre adultos estavam confinados às reuniões secretas de pessoas com ideias afins ou boates conhecidas por sua clientela mais livre de espírito. Outros publicavam anúncios discretos em jornais, com caixas postais confidenciais para organizar encontros ilícitos longe de sua casa e dos entes queridos. No entanto, deve-se notar que a era dos loucos anos 20 introduziu uma atitude mais descontraída em relação aos passatempos sexuais entre adultos, particularmente mulheres que vestiam roupas menos conservadoras (pense nas melindrosas), e participavam de encontros sociais conhecidos como “petting parties”. Ironicamente, essa transformação social surgiu na mesma época em que a proibição do álcool foi lançada. Ou talvez esse afrouxamento monumental de atitudes sociais em relação ao comportamento sexual tenha surgido em parte por causa disso.(5)

Hoje, sites de namoro na internet e aplicativos de mídia social abriram o mundo para aqueles que estão procurando por alguém especial. E podem fazê-lo em qualquer lugar - desde na privacidade de sua própria casa, no escritório, no carro, no avião ou durante uma viagem de negócios fora da cidade - porque tudo isso pode ser feito em um dispositivo móvel pessoal.

************

Um estudo recente do Pew Research Centre observou que 15% dos adultos americanos já usaram sites de namoro online ou aplicativos de namoro para celular. No entanto, o que é único sobre este estudo é que o uso de serviços de namoro online quase triplicou entre os entrevistados de 18 a 24 anos desde 2013 e dobrou entre os de 55 a 64 anos de idade. Nesta faixa etária mais avançada, 6% usaram sites e aplicativos de namoro eletrônico em 2013 comparados a um aumento de 12% até 2015. Até recentemente, essas duas populações não eram usuárias predominantes de namoro online.(6)

Graças aos millennials, as tendências de namoro de hoje e o jargão que eles inspiram criaram uma cultura própria. Na era do Tinder, Grindr, Facebook, Instagram, Twitter e Snapchat, vamos dar uma olhada em algumas das categorias únicas de namoro na era da mídia social(7). Mesmo que esses termos possam não pertencer completamente ao mundo do namoro entre casados, eles podem fornecer alguns insights importantes:

"Ghosting":
Você se conecta com alguém, a pessoa joga seu charme por um tempo e depois desaparece.
"Stashing":
Um termo originado por Ellen Scott, do jornal Metro do Reino Unido(8), significa que, enquanto você supostamente está namorando alguém, essa pessoa “esconde você” da família, amigos, de modo que apenas você a vê.
"Zombieing":
Alguém com quem você se conectou e começou a sair, de repente desaparece e depois reaparece do nada.
"Bread Crumbs":
Alguém que se envolve em uma provocação perpétua. Eles constantemente deixam pistas de que estão por perto, interessados, mas nada se materializa.
"Roaching":
Alguém com quem você está namorando continua saindo com outras pessoas sem contar para você.

************

Em busca de prazer extraconjugal

Embora as ferramentas e o jargão do namoro entre adultos possam ter mudado com o tempo, as convenções sociais em torno de contatos extraconjugais ainda exigem discrição. Então, o que isso significa para você em uma era de conectividade perpétua?

A explosão de sites e aplicativos de namoro online tem proporcionado a esposas que traem e aos seus parceiros do sexo masculino uma variedade de opções quando se trata de encontrar um caso discreto.

Alguns de vocês podem se sentir atraídos pelos sites e aplicativos usados pelos millennials de hoje. No entanto, a maioria desses serviços é projetada para uma clientela mais despreocupada e mais jovem. Lembre-se, esta faixa etária posta todos os aspectos de suas vidas nas redes sociais, incluindo seus parceiros românticos e aventuras.

Os sites de namoro tradicionais são voltados para encontrar potenciais parceiros matrimoniais para seus usuários e nem sempre atendem às necessidades daqueles que procuram por relacionamentos casuais e sem compromisso. Alguém que está escapando de um casamento sem sexo provavelmente queira a máxima privacidade ao se conectar online com esposas solitárias. Casais modernos estão até experimentando casamentos abertos ou namoros poliamorosos, todos atraindo pessoas que não queiram ser julgadas.

As páginas exclusivas de namoro do Facebook ou através do Twitter podem parecer convenientes e acessíveis, mas na sociedade interconectada de hoje, você está a poucos graus de se conectar com alguém que conhece - ou pior, que conhece sua família.

No ashleymadison.com, fornecemos ferramentas confiáveis e confidenciais para você explorar o mundo dos encontros discretos e ajudar a encontrar a pessoa certa para os seus desejos e circunstâncias. A vida é curta. Tenha um caso.

************

Traduções:

Junte-se a milhões de membros e explore as possibilidades hoje mesmo.

Ashley Madison uses cookies
We use cookies on this site to help provide you with the best online experience. To accept cookies, continue to use the site as normal. For more information about how we use cookies and guidance on how to manage your cookie settings, please see our Cookie Policy.