cdnUrlPath=/casamentos-abertos=cdnUrlPath

Casamentos Abertos

aberto
desabotoado, que não está fechado

casamento
duas pessoas que se uniram como parceiros

Casamento aberto: quer dizer que vale tudo?


Esta é a definição de casamento aberto ou relacionamento poliamoroso: "um casamento em que os parceiros concordam em permitir que ambos tenham parceiros sexuais fora do casamento".(1)

Algumas pessoas acrescentariam que é um casamento em que os parceiros concordam em permitir que ambos tenham parceiros sexuais fora do casamento, sem que isso seja visto como infidelidade. Esse aspecto é importante para entender o termo. Não se trata de um encontro discreto em que vale tudo, com traição e relações sexuais. é uma ideia cuidadosamente considerada e discutida, que as duas pessoas compartilham e, principalmente, aceitam como algo normal.

Existem dois estilos diferentes de casamento aberto: o swing e o poliamor. "O swing é motivado pelo desejo de gratificação física por meio da prática de atividades sexuais com parceiros extraconjugais. O poliamor é motivado pelo desejo de expandir o amor desenvolvendo relações emocionais com parceiros extraconjugais".(2)

O casamento aberto é igual para todos?


A clareza é importante, pois até mesmo o conceito de casamento aberto pode não ter o mesmo significado para ambas as pessoas. Uma delas pode interpretá-lo como temporada de caça para encontros sexuais fora do casamento, enquanto a outra pode achar que se trata de uma afinidade mais controlada ou discreta com um parceiro selecionado.

Os casamentos abertos e as relações poliamorosas baseiam-se em algo simples: a comunicação. Quando feito corretamente, um relacionamento aberto significa que uma ou ambas as partes planejam ter um caso extraconjugal com outra pessoa e seu parceiro está ciente disso.

Mais do que estar apenas ciente disso, o parceiro aceita a relação. Esse é o ponto crucial do casamento aberto. Não basta estar por dentro do que está acontecendo. é preciso se comunicar claramente sobre os sentimentos, em ambos os lados da equação. Caso contrário, o resultado será ciúme e outras reações negativas – o que não gera benefícios para ninguém. Porém, seja em um casamento aberto unilateral ou em que ambos os parceiros planejam um encontro extraconjugal, a comunicação é fundamental.

O primeiro passo para garantir que um relacionamento aberto será viável para ambos os parceiros é determinar as regras básicas dele. Saber como as coisas acontecerão, tanto no casamento existente quanto nas novas relações, é essencial para os dois parceiros começarem e permanecerem confortáveis com a ideia.

Regras básicas para um relacionamento aberto de sucesso


Não importa se você está em um casamento ou em um longo relacionamento: se ele não começou "aberto" ou poliamoroso desde o início, precisará de algumas regras básicas para garantir o sucesso do casamento aberto no futuro Uma pesquisa feita pelo YouGov e pelo Huffington Post em março de 2015(3) sugere que 13% das pessoas entrevistadas participam ou já participaram de uma relação poliamorosa. Em outras palavras, apesar de não servir para todos, há muitas pessoas envolvidas nessa forma de relacionamento.

As regras básicas não parecem sensuais? O divórcio também não! Não importa se você está introduzindo a ideia de um casamento aberto ou se ambos chegaram a essa conclusão mais ou menos ao mesmo tempo; um relacionamento poliamoroso é mais complicado do que um casamento monogâmico regular e exige um pouco de premeditação e planejamento.

Por que as regras são importantes? No instante em que o relacionamento aberto começa a causar desconforto para um de vocês, o esquema pode ir por água abaixo rapidamente. Se você dá valor ao seu casamento ou relacionamento, isso terá importância.

  1. Tenham uma conversa clara e franca sobre o que fazer parte de um casamento/relacionamento aberto significa para cada um de vocês. Muitas pessoas dizem que sabem o que é um relacionamento aberto, mas isso nem sempre é verdade. Se um de vocês tiver reservas ou estiver equivocado sobre o que significa estar em um relacionamento poliamoroso, problemas surgirão rapidamente. Deixem tudo às claras desde o início!
  2. Tenham um processo de diálogo contínuo e "conferências" regulares para que ambos possam ser abertos e honestos a respeito dos relacionamentos e dos seus sentimentos. Lembre-se de que os encontros poliamorosos não são uma traição; portanto, esconder coisas do seu parceiro não faz parte do jogo!
  3. Estabeleçam limites e regras sobre os encontros sexuais com parceiros externos. Vocês dois estarão presentes sempre que acontecer um encontro sexual? Em caso negativo, a outra pessoa deve ser notificada? Algum ato sexual específico não será permitido com parceiros externos? Vocês estão limitados a relacionamentos com o sexo oposto ou com o mesmo sexo? Estabeleça suas expectativas, deixe seu parceiro estabelecer as dele e encontrem-se no meio do caminho.
  4. Vocês devem sempre ser honestos com os parceiros externos sobre o estado do seu relacionamento. Não o escondam. Se eles não gostarem da ideia de ser a terceira pessoa em um casamento aberto, têm o direito de saber com antecedência para poderem se afastar.
  5. Nem é preciso dizer que as atividades devem ser praticadas de forma segura. Todos merecem sair da experiência sem ter a saúde física afetada.

Seja qual for sua abordagem a respeito do casamento aberto, você deverá agir de maneira ponderada e cuidadosa se quiser manter seu relacionamento intacto. Além disso, precisa relaxar e aproveitar. Não era essa a intenção?

Então você quer um casamento aberto...


Você conheceu alguém fora do seu casamento que gostaria de rever – talvez uma esposa solitária atraente on-line ou um homem charmoso que vive um casamento sem sexo – não necessariamente para iniciar um relacionamento, mas porque sente uma atração física incrível que não desaparece. Você nunca falou com seu parceiro sobre um casamento aberto ou talvez tenha falado, mas a ideia não chegou a lugar nenhum. A questão é que você quer ter essa conversa agora.

Como é possível mencionar seu desejo de buscar outra relação, fora do casamento sem ofender ou, pior ainda, sem magoar seu parceiro?

1º passo – Comece devagar


Você está pensando em apresentar a ideia de repente ao seu parceiro, sem aviso, e acha que ele vai topar na hora? As chances de isso acontecer são quase nulas! Pode demorar semanas, meses ou até mais tempo. Mas a espera valerá a pena se for para manter seu relacionamento intacto! Antes de mergulhar de cabeça na missão de convencê-lo, comece perguntando se ele seria receptivo à ideia.

O ideal é evitar uma situação em que seu parceiro diga 'não' instintivamente. é difícil voltar atrás depois de assumir essa posição. Por isso, apresente a ideia aos poucos. Se você resmungar, adular ou choramingar porque deseja um relacionamento aberto, conseguirá a mesma coisa que uma criança de cinco anos que chora para ganhar outro brinquedo: nada!

2º passo – Apresente seu parceiro a outras pessoas que pensam como você


Não se trata de unir forças contra seu parceiro, mas de mostrar que isso que você está lhe pedindo não é completamente anormal; que outras pessoas participam de relacionamentos abertos. Como um bom romancista, você deve mostrar, não explicar, por que um casamento aberto seria bom para ambos.

Sempre é possível mencionar um casal que conhecem e que supostamente têm um casamento aberto: isso pode ser suficiente para convencer algumas pessoas!

3º passo – Explique por que você quer um casamento aberto


Se o conceito for novo para seu parceiro, ele poderá inicialmente ver seu desejo de ter relações sexuais com outras pessoas como rejeição ou traição velada. é importante conversar com seu parceiro para que ele entenda que seu interesse em ter encontros sexuais com outras pessoas não tem nada a ver com ele diretamente. O interessante é que algumas pessoas buscam um relacionamento aberto quando o casamento já está fracassando, mas esse não é o momento certo. Para um casamento aberto funcionar, precisa ter uma base sólida.

Se seu parceiro entender que isso deixaria você feliz e provavelmente fortaleceria seu relacionamento, poderia se mostrar – por falta de uma palavra melhor – aberto à ideia!

4º passo – Seja honesto


Responda às perguntas do seu parceiro e a qualquer reserva que ele possa ter da maneira mais honesta e justa que puder; não fique chateado com isso. Para muitas pessoas, este é um conceito novo, que nunca consideraram como parte do seu casamento ou relacionamento permanente. Elas podem reagir negativamente à ideia por um período.

Se conversar com seu parceiro de forma honesta, ele passará a ver que você não está agindo com o desejo de machucá-lo; na verdade, quer incluí-lo e mantê-lo mais perto do que nunca. Sua vulnerabilidade ao compartilhar seus sentimentos transmitirá uma boa imagem e ajudará a manter seu parceiro ao seu lado.

O processo inteiro de transição de um casamento tradicional para um casamento aberto não é fácil nem rápido. No entanto, se você ama e confia em seu parceiro e ele ama e confia em você, tudo será possível.

Como incluir um novo parceiro em seu casamento aberto


Você e seu parceiro primário decidiram que tentarão ter um relacionamento aberto. Encontrar um novo parceiro – às vezes chamado de parceiro não primário – é o próximo passo na equação. Seja bem-vindo ao mundo dos encontros de pessoas casadas!

O parceiro primário é seu parceiro original: a pessoa com quem você tem um forte laço, incluindo imóveis, finanças, filhos e, em geral, uma existência familiar. O parceiro não primário (ou parceiros) é a nova adição ao seu relacionamento. Por que chamamos de "não primário"? Porque ele não está em pé de igualdade com seu parceiro primário, mas tampouco é secundário.

é neste ponto que muitas pessoas têm dificuldade: depois de encontrar o parceiro não primário, definir a posição de cada pessoa dentro desse novo contrato social – quando muitos de nós tendem a pensar em termos mais tradicionais sobre relacionamentos – é um grande desafio. Na realidade, a sociedade em geral é mais solidária à noção de um casamento monogâmico do que a um relacionamento alternativo. Por isso, é muito importante encontrar um nível confortável para que cada pessoa possa ser incluída.

Uma comunicação aberta é essencial entre os parceiros primários no momento de estabelecer um casamento aberto. Mas não esqueça que ela é igualmente importante no que diz respeito aos parceiros não primários. Eles têm todo o direito de saber em que estão se envolvendo, quais são as regras básicas e qual é o possível resultado no longo prazo. Por fim, mesmo que as coisas possam mudar com o tempo, a honestidade é fundamental em relação ao parceiro não primário, seja ele uma aventura ocasional ou um membro integrado da relação.

Veja algumas dicas para garantir que o parceiro não primário receba o tratamento adequado dentro da relação:

  • Não o trate como um cidadão de segunda classe. Os desejos e as necessidades dele devem ser levados em conta, pois são tão válidos e importantes quanto os do seu parceiro primário, especialmente à medida que o relacionamento evolui e cresce. A igualdade é essencial!
  • Inclua o parceiro não primário nas decisões sobre o relacionamento que o afetam, caso ele queira ser incluído. Não é uma rua de mão única!
  • Seja claro a respeito das regras básicas para que não haja confusão. Confira se todos estão de acordo com elas. Isso abrange tudo, desde a divulgação completa da saúde sexual até decidir se será ou não permitido sair em público com o parceiro não primário. Essas regras básicas não devem ser impostas sem discussão. A forma mais garantida de conseguir a aceitação do que deseja é explicar seu raciocínio.

Lembre-se de que muitas pessoas escolhem ser o parceiro não primário de uma relação poliamorosa porque, para elas, os pontos positivos são muitos: há todas as vantagens de um relacionamento sem o compromisso ou as desvantagens. é possível desfrutar o prazer sexual e a relação amorosa que acompanham o casamento aberto, mas evitar os elementos de um relacionamento de longo prazo que não interessam à pessoa, como precisar tomar as decisões do dia a dia com alguém ou abrir mão de elementos da sua liberdade pessoal.

Independentemente de como será seu relacionamento aberto, é importante dar valor a todos os participantes (não apenas ao parceiro primário) e manter as linhas de comunicação bem abertas.

Fatos e realidades sobre casamentos abertos


Nas circunstâncias certas, um casamento aberto ou relacionamento poliamoroso pode ser a solução ideal para pessoas que não nasceram para ser monogâmicas. A monogamia é um constructo social, mas nosso lado biológico nem sempre se conforma com aquilo que a sociedade espera. O relacionamento aberto é uma solução viável para muitas pessoas que não se encaixam no molde.

Surpreendentemente, o conceito é recente. O termo 'casamento aberto' foi cunhado apenas na década de 1960, quando pesquisadores(4) o usaram para descrever a capacidade de uma pessoa de escolher seu parceiro matrimonial. A definição usada com mais frequência – a que descreve um casamento em que um ou ambos os parceiros têm parceiros sexuais fora do casamento, com o consentimento do outro – surgiu por volta de 1972, em um livro de Nena e George O'Neill curiosamente intitulado "Open Marriage" (Casamento aberto). Nele, os autores imaginam uma relação conjugal em que uma das partes pode ter "amizades" fora do casamento.

Você pode chamar como quiser: amizades, aventuras, casos, encontros sexuais... A questão é que o conceito de casamento ou relacionamento aberto é relativamente novo. Parte disso se deve ao fato de que homens e mulheres não viviam o casamento em posição de igualdade até a década de 1970. Com a revolução sexual e o empoderamento feminino, surgiu a possibilidade de viver uma vida que não se encaixasse em uma definição estreita e limitada de "família".

Isso não quer dizer que o relacionamento aberto se tornou uma febre. O número de casais que fazem ou já fizeram parte de um relacionamento aberto, seja como parceiro primário ou não primário, ainda é bastante reduzido. é o esperado. A capacidade de fugir às normas sociais não vem fácil para a maioria das pessoas. Trata-se de uma luta entre o que querem fazer e o que sentem que "devem" estar fazendo.

No entanto, as pessoas que aderem ao conceito de casamento ou relacionamento aberto podem afirmar com sinceridade que estão vivendo a vida de acordo com seus próprios termos. Há muito poder nisso – para todos os gêneros.

Experimentar um aplicativo de encontros para pessoas casadas também é um excelente recurso. Aqui, é possível satisfazer necessidades específicas, como "mulheres à procura de mulheres bissexuais em um casamento aberto" ou uma descrição que informe em um relacionamento poliamoroso e tentando encontrar o homem ideal'. A possibilidade de ser aberto on-line é uma ferramenta realmente maravilhosa.

Translations:

English
Español

Junte-se a milhões de membros e explore as possibilidades hoje mesmo.

Ashley Madison uses cookies
We use cookies on this site to help provide you with the best online experience. To accept cookies, continue to use the site as normal. For more information about how we use cookies and guidance on how to manage your cookie settings, please see our Cookie Policy.